T-Systems: 30% no home office

André Vieira, VP de RH da T-Systems, destaca a qualidade de vida como objetivo da política de home office.

André Vieira, VP de RH da T-Systems, destaca a qualidade de vida como objetivo da política de home office.

A T-Systems, provedora alemã de soluções e serviços de TI, já conta com adesão de 30% de seus colaboradores brasileiros ao sistema home office: dos 2 mil funcionários espalhados por oito cidades no país, 600 já vivem a experiência de trabalhar de casa.

A prática começou a ser testada há cerca de dois anos e ganhou força nos últimos meses. Embora muitas vezes o home office seja uma saída para reduzir custos, não foi essa a motivação da empresa ao estabelecer a política do teletrabalho.

A iniciativa, explica André Vieira, vice-presidente de recursos humanos da companhia, foi criada com foco na qualidade de vida dos colaboradores. “Muitas vezes o profissional leva até duas horas e meia para chegar ao trabalho, evitar esse deslocamento foi um dos fatores que nos levou a implementar o sistema. Embora a T-Systems adote o home office em outros países, é uma política diferente, a ideia aqui surgiu de uma necessidade nossa”, explica.

No home office proposto pela companhia no Brasil, o colaborador trabalha de casa duas vezes por semana e deve estar disponível no horário comercial. O teletrabalho é uma possibilidade para os profissionais de nível sênior – que são a maioria no quadro da empresa – e antes da adesão são realizadas avaliações e treinamentos para melhor desempenho da função de forma remota.

Ainda que trabalhar no conforto do lar doce lar seja o sonho de grande parte dos profissionais, às vezes o sistema não funciona na prática. “O colaborador pode chegar à conclusão de que produz melhor no ambiente da empresa. Como o nosso objetivo é a qualidade de vida, tudo bem se ele preferir não fazer home office. Mas isso acaba acontecendo em apenas 5% dos casos“, revela Vieira.

A T-Systems é a unidade de serviços corporativos do grupo Deutsche Telekom, está presente em mais de 20 países e emprega cerca de 50 mil colaboradores mundialmente. Com mais de 182 mil clientes, obteve um faturamento superior a 9,5 bilhões de euros em 2013. No Brasil, a companhia tem mais 1.600 clientes e onze filiais que oferecem serviços de Consultoria, Infraestrutura de TI e Telecom, Desenvolvimento e Manutenção de Aplicativos e Soluções por Indústria.