O Princípio 80/20: vale a leitura?

princípio 80.20

O Princípio 80/20 é o nome do livro que difundiu a ideia de que 80% do que produzimos é resultado de 20% dos nossos esforços.

Escrito por Richard Koch em 1996, ganhou nova edição revista e, conforme destacou a Folha de S. Paulo, com um novo capítulo sobre temas contemporâneos.

Fui logo imaginando algo sobre e-mails, redes sociais, trabalho remoto e uma infinidade de outras situações da ~vida moderna~ que eu não poderia dormir sem saber. Quando dei por mim já tinha comprado o livro e tinha em mãos 256 páginas de muita enrolação e que pode ser resumida em meia dúzia de parágrafos.

Os 20% que interessam

O livro é dividido em duas partes, uma sobre como elevar o nível operacional no trabalho e na vida pessoal e outra direcionada ao mundo corporativo. Ambas recheadas de estatísticas e exemplos que se repetem em várias páginas.

O capítulo aparentemente mais interessante propõe um melhor uso do tempo. São 22 páginas que podem ser resumidas em uma frase: identifique quais são as atividades que representam os 20% que dão resultado e foque nelas.

Mais adiante o autor diz que sempre que possível você deve reduzir a semana de trabalho para dois dias, embora não dê muitos exemplos práticos de como conseguir isso. Para não dizer que a leitura foi em vão, tem uma dica boa: na maioria dos projetos a produtividade pode ser duplicada apenas cortando o prazo de entrega pela metade.

Na parte direcionada aos negócios, a lição principal é que no geral 20% dos produtos/serviços respondem por 80% dos lucros de uma empresa, assim como 20% dos funcionários costumam gerar 80% dos resultados. O autor dá sugestões de como lidar com essas situações, mas não espere por algo revolucionário.

Os outros 80%   

Não se deixe enganar pelos títulos. O capítulo que mostra como aplicar o princípio na vida financeira é quase totalmente voltado ao mercado de ações. E o que fala sobre relacionamentos propõe que você coloque o nome dos seus amigos em uma tabela, estabeleça quais são os mais importantes e defina matematicamente o tempo a ser gasto com cada um (o que pra mim só comprova que a loucura é algo que desconhece limites).

Tá, mas e o novo capítulo, sobre temas contemporâneos? Nele o autor rebate as críticas e destaca elogios feitos pelos seus leitores ao longo dos anos. Ok, são questões contemporâneas, mas dizem respeito apenas à repercussão do livro.

Melhor conselho

Logo nas primeiras páginas o próprio autor afirma que nunca se deve ler um livro de ponta a ponta, a não ser que seja por prazer. A dica é ler a conclusão, a introdução, novamente a conclusão e então dar uma passada ligeira pelos pontos mais interessantes. Afinal, 80% do valor de um livro pode ser encontrado em 20% – ou menos – de suas páginas. 

No caso de “O Princípio 80/20” essa afirmação é 100% verdadeira.


Vai lá:
O Princípio 80/20
Autor: Richard Koch
Editora: Gutenberg
Quanto: de R$ 37,90 por R$ 23,10 aqui.

conteudo comercial

  • Roberta Roth

    Posso estar chovendo no molhado, mas vocês já leram o 4 Hour Work Week? O livro é legal, só que a proposta é impraticável para a grande maioria de profissionais. Mas o autor trata da regra do 80/20 de maneira bem prática e interessante, sem muita enrolação.

    • AdoroHomeOffice

      Oi, Roberta, valeu pela dica. Já está indo pra nossa fila de leitura e logo a gente troca uma ideia por aqui sobre ele. ;)

  • Artur Contrucci

    Tive a mesma opinião do livro. Até soa como desafio logo nas primeiras páginas eles afirmar que não se deve ler 100% de um livro. O Kock começa bem introduzindo o princípio, porém ao longo dos capítulos sua opinião e julgamentos ficam claros, como quando ataca a tentativa de gerenciar seu tempo, ataca livros de autoajuda/desenvolvimento pessoal (sendo que este livro está na estante de autoajuda) e eu diria que dá conselhos para a vida, como fazer uma tabela hierárquica de amigos, promove a preguiça como sinal de eficiência. Eu achei extremamente contraditório várias passagens. Não recomendo a leitura por isso.