Menos cansaço no home office Resource

Quase cinco meses após o início do programa de home office corporativo, a Resource IT Solutions, empresa integradora de serviços de TI,  já registra bons resultados. É o que mostra o levantamento realizado com os colaboradores que aderiram à modalidade: 70% disseram ter mantido a produtividade que tinham no escritório, enquanto 30% declararam ter melhorado ainda mais neste quesito.

Segundo uma autoavaliação aplicada pela empresa, o estresse com o trajeto até o trabalho foi o item que sofreu redução mais drástica, indo de 8,74 para 1,95 (em uma escala de 1 a 10). O cansaço (5,74 para 2,32) e o desgaste com o trabalho (de 4,32 para 3,53) também registraram queda considerável. A satisfação com a companhia cresceu: a nota foi de 8,83 para 9,28.

Os respondentes também disseram estar mais motivados depois que aderiram ao home office (as notas de satisfação subiram de 8,11 para 9,58). Outros ganhos incluem mais tempo dedicado à família (6,63 para 9,37), além de uma melhor divisão entre trabalho, lazer e família (6,63 para 9,42).

Todos manifestaram vontade de continuar trabalhando em casa graças aos ganhos de qualidade de vida – um dos principais objetivos da Resource ao adotar o home office.

“No projeto piloto visávamos testar o conceito e algumas ferramentas, e ficamos muito satisfeitos”, conta Solemar Andrade, vice-presidente executivo da companhia. “Já testamos tudo o que queríamos. Agora é um processo que faz parte da nossa cultura.”

Estrutura

O projeto começou em maio com um grupo de 55 colaboradores. Destes, 45 prosseguem na empresa e responderam à autoavaliação. Com um novo grupo em junho, a Resource iniciou o segundo semestre de 2015 com 87 pessoas em home office.

Os profissionais estão distribuídos nas áreas financeira, contabilidade, recursos humanos, jurídico e operações. Os gestores receberam treinamentos para que possam coordenar as equipes no novo modelo de trabalho, em regimes de tempo integral ou parcial. A empresa oferece toda a estrutura necessária para o trabalho remoto, incluindo notebook e telefone IP, subsídio para compra de mobiliário ergonômico e acesso às regras de segurança.

Perfil e desafios

 Entre os respondentes da autoavaliação, 13 são mulheres e 32 homens. Trinta e dois também é o número de funcionários na capital paulista, onde é a sede da Resource, e os demais estão espalhados pelo interior de São Paulo. O programa, no entanto, está aberto para colaboradores de todas as filiais da companhia, desde que obedeçam aos critérios de experiência e natureza do trabalho.

“A seleção dos profissionais foi decisiva no resultado. Só foram escolhidos colaboradores mais seniores e os que já dominavam seus processos de trabalho”, explica Olivar Rodrigues, diretor de Recursos Humanos da Resource. “A qualidade do trabalho e de vida foram os dois itens mais destacados”.

Mas ainda há desafios. A avaliação mostrou, por exemplo, que a ansiedade dos colaboradores fazendo home office cresceu, de 5,44 para 6,39. Para Rodrigues, eles passam a se sentir mais pressionados por resultados para justificar o fato de estarem em casa. Tanto que as preocupações com o trabalho praticamente não sofreram alteração, indo de 4,0 para 3,95.

“É uma modalidade nova, que exige principalmente mudanças de cunho comportamental como a de aprender a trabalhar de forma independente e, ao mesmo tempo, não perder contato com a equipe. Trabalhar mais por resultado do que por tarefa”, explica o diretor.

A companhia, que conta atualmente com 3 mil colaboradores, possui matriz em São Paulo e filiais em Alphaville, Americana, Campinas, Salvador, Recife, Belo Horizonte, Curitiba, Itajaí, Porto Alegre e Rio de Janeiro.