Coworkings: 64% querem privacidade

Coworking cria ambiente favorável para start-ups, mas falta de privacidade é queixa de 64% dos brasileiros.

Coworking cria ambiente favorável para start-ups, mas falta de privacidade é queixa de 64% dos brasileiros.

A Regus, multinacional que oferece soluções flexíveis de espaços de trabalho, revelou em seu mais recente levantamento “Dressed to Impress: The right location for success” algumas das razões pelas quais as pessoas escolhem o coworking como ambiente de trabalho.

Dentre os 44.000 respondentes de 100 países, 82% dos executivos brasileiros responderam que o ambiente compartilhado oferece ótimas oportunidades de networking e 76% acreditam ser o ambiente ideal para o crescimento de start-ups.

Trabalhar em um espaço coworking permite às pessoas aproveitarem os benefícios da flexibilidade sem sentirem-se isoladas, diferentemente dos profissionais que trabalham unicamente de casa no formato home office.

No entanto, foi observado que o ambiente colaborativo tem também alguns pontos a serem considerados: 66% dos brasileiros disseram que para reuniões com clientes, o coworking deveria aparentar ser um ambiente mais profissional. Ainda assim quando se fala em custo-benefício, 81% concordam que o custo efetivo do coworking se mostra mais rentável do que os acordos de locação fixos.

Outros pontos ressaltados pelo estudo na opinião dos respondentes brasileiros:

  • 51% temem que documentos sensíveis e confidenciais possam ser lidos por outras empresas que trabalham no mesmo ambiente;
  • 31% dizem que cozinhas compartilhadas frequentemente estão sujas;
  • 39% acreditam que a aparência de empregados de outras firmas possa parecer desleixada aos olhos de clientes visitantes;
  • 66% dos respondentes confirmaram que o ambiente comum não é algumas vezes profissional o bastante para reuniões com clientes e 52% têm a mesma queixa no que se refere às reuniões internas;

Algumas das preocupações dos executivos em ambientes coworking (Brasil)

prós e contras do coworking

“Utilizar espaços colaborativos, permitindo que as pessoas trabalhem em parceria com outras pode resultar em alianças-chave para relações profissionais. Para isso, as opções de espaços de trabalho flexíveis existem para atender aos diferentes tipos de demanda: salas de reuniões podem ser alugadas para discussão de assuntos sensíveis e ao estar em um ambiente inspirador como o coworking, empreendedores são estimulados pela troca de experiências’’, afirma Dante Righetto, diretor da Regus Brasil.

Deixe uma resposta