Coworking gratuito no Rio

(via Visual Hunt)

A Incubadora Rio Criativo, plataforma de Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro, terá o primeiro coworking gratuito de fomento e desenvolvimento da Economia Criativa. O funcionamento está previsto para começar em março e 40 postos de trabalho foram disponibilizados. A ideia é que a cada seis meses o ciclo se renove e novas empresas possam ocupar o espaço e empreender. Os primeiros contemplados já foram selecionados e são dos setores de Literatura e Mercado Editorial, Games, Animação, Arquitetura, Moda, Novas Mídias e Cultura Popular. Os selecionados podem usar todo o espaço da incubadora durante esse período gratuitamente, bem como utilizar os serviços de consultoria e treinamentos.

“O trabalho em espaços compartilhados é uma ferramenta de desenvolvimento muito poderosa. A interação promovida por esse tipo de ecossistema é muito favorável à troca de experiências e à geração de ideias e negócios entre pessoas que trabalham com inovação e criatividade”, avalia o assessor especial para a Economia Criativa, Marcos André Carvalho.

Se você ficou interessado em participar da próxima rodada de selecionados, fique de olho nas publicações na página do Rio Criativo no Facebook. No último edital puderam se candidatar pessoas físicas ou jurídicas, sediadas no estado do Rio, e cada proposta poderia solicitar até 5 postos.

Rio Criativo

A Incubadora Rio Criativo é um centro de inovação que estimula o fortalecimento e a sustentabilidade dos empreendimentos da economia criativa do estado do Rio de Janeiro e o seu desenvolvimento econômico e social através da cultura. Primeira incubadora do Brasil focada exclusivamente nos setores da economia criativa, a Incubadora Rio Criativo foi citada pela ONU, em 2010, como uma das experiências mundiais mais relevantes de fomento à economia criativa; e inspirou o Ministério da Cultura a implementar incubadoras em 14 estados.

Funciona na Praça Onze, centro do Rio, em um espaço de 2.500 m2, onde são oferecidas atividades de formação, apoio, geração de negócios para empresas, associações, redes setoriais e territoriais e aproximadamente 5 mil agentes culturais dos 92 municípios do estado, por ano.

Deixe uma resposta