Quanto cobrar por um freela?

Uma das coisas mais importantes para determinar na carreira de freelancer é a estratégia de precificação.

Não importa se você acabou de começar sua carreira freelance ou se já tem anos no mercado, determinar o preço a se cobrar – por hora ou por projeto – pode ser uma tarefa complicada. Há sempre o risco de cobrar caro demais e perder clientes, ou barato demais e perder dinheiro.

Diante disso, a Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, listou algumas dicas que são úteis na hora de determinar o seu preço.

1) Pesquise a média que os profissionais da sua área estão cobrando pelo serviço.

Sempre terá aquele profissional mais qualificado que cobra preços mais altos por conta da qualidade que entrega, ou então profissionais no início da carreira que cobram preços mais baixos para ganharem carteira de clientes.

No entanto, o segredo é sempre cobrar o máximo que você ache que vale o seu tempo, sem ficar muito distante da média de mercado.

Para pesquisar o mercado, você pode usar o Google, consultar colegas da sua profissão e até mesmo plataformas de trabalho remoto.

2) Calcule o valor do seu tempo com base nos seus gastos mensais e planejamento financeiro.

Para definir a estratégia de precificação, também é importante levar em conta os seus gastos mensais, além do lucro que você deseja tirar naquele mês e no extra que você deseja ganhar para separar para a poupança.

Um jeito fácil de realizar esse cálculo é levar em conta um salário de CLT, dividindo o valor pelas horas de trabalho mensais para obter um valor aproximado para levantar o valor de sua hora trabalhada.

3) Compare os dois valores levantados.

O último passo é comparar o preço de mercado praticado por seus concorrentes com o preço que você deseja cobrar. Se o preço que você quer cobrar está próximo do preço praticado, sua estratégia de precificação é viável, e você pode mandar sua proposta sem medo.

Se o preço está maior do que o praticado pelo mercado, você precisa avaliar que, se você está cobrando mais do que outros profissionais, o cliente precisa entender o motivo e que o seu trabalho vale o investimento mais alto.

Já se o seu preço for menor do que o praticado – o que é raro acontecer – você se torna muito mais competitivo. Só tenha em mente que muitos clientes podem ver preços muito baixos como sinônimo de má qualidade.

Então, busque formas de provar ao cliente que você cobra pouco, mas vale muito. Mostre sua experiência de trabalho, exiba seu portfólio para comprovar a qualidade de suas entregas e fale de suas qualificações.

4) O valor final de cada projeto é fechado na negociação.

Nem sempre o seu preço vai ser o mesmo em todos os seus projetos. Muitas vezes, o cliente vai pedir um pouquinho de desconto ou você vai ter que cobrar um pouco mais porque a complexidade do trabalho é maior do que você tinha entendido. É para isso que existe a fase de negociação. Nesta fase, é crucial se comunicar com clareza e atenção.

  • Claudio

    Olá.
    Gostei muito do artigo e os questionamentos nele feito.
    Pontos tão obvio mas que precisam ser abordados sempre.
    Muito bom, Gostei.

    Obrigado.

    Claudio