Empresa baseada 100% em trabalho remoto? SIM!

Adoramos compartilhar cases por aqui, para que cada vez mais a gente possa enxergar o trabalho remoto acontecendo em todas as áreas de atuação, com empresas de todos os tamanhos.

Por isso hoje compartilhamos o case da Reedsy, um marktplace para a área de conteúdo, que escolheu manter todos os funcionários remotos. Um dos fundadores da empresa, Emmanuel Nataf, compartilha que inclusive prefere coordenar uma equipe de funcionários à distância. E por isso abriu mão de um escritório compartilhado que não tinha custo nenhum (era mantido por investidores), porque ele e a equipe achavam o espaço cheio de distrações.

“Para mim, ter mais pessoas na mesma sala que eu quer dizer mais demandas para gerenciar”, explica Nataf. Muitas vezes as pessoas acabam sendo distraídas umas pelas outras, ressalta ele. “Tem também uma competição muito estranha para ver quem chega antes no escritório ou fica trabalhando até mais tarde. No online, esse tipo de disputa não existe”.

Com um time baseado em 15 países, ele acredita que a chave para o sucesso é confiar que as pessoas vão estar trabalhando e garantir que elas entenderam o objetivo da sua empresa.

Um time remoto exige menos gerenciamento imediato, pois todos sabem o que precisam fazer e quais são as metas. “Resultado é a única coisa que importa, não quanto tempo uma pessoa passa dentro do escritório”, reforça Nataf.

Talento global

Talentos na área da tecnologia não são fáceis de encontrar. Por isso a empresa de Nataf tenta concentrar todos os funcionários em alguns países da Europa e Estados Unidos, mas ter a liberdade de contratar globalmente torna essa busca muito mais fácil.

Ele explica que se você se limita a procurar profissionais apenas na sua cidade, acaba encontrando muita concorrência com empresas gigantes do ramo, seja ele qual for. “Esse política de ter uma equipe exclusivamente em uma cidade e em um escritório só vai fazer o processo ficar mais difícil, a menos que você tenha como pagar grandes salários”, avalia o empresário.

Mas ele reforça que o trabalho remoto não é para todos, por isso é preciso prestar atenção nisso na hora de contratar. O profissional ideal para trabalho remoto é aquele que trabalha muito bem de forma autônoma e não precisa de ninguém dizendo o tempo todo o que precisa ser feito.

A melhor maneira de testar se alguém é compatível ou não com esse formato é fazendo contratos de trabalho menores, para projetos específicos. E ele alerta para um ponto importante durante as entrevistas. “Se alguém diz que acha que pode fazer o trabalho, então pode ter certeza que ela não vai fazer. Seu funcionário precisa ter entusiasmo e garantir que sabe como controlar o tempo. Se ele estiver apenas 50% disponível, esse formato não vai funcionar”, ressalta.

*Com informações de Personnel Today

** Esse post faz parte da parceira entre a HOM e o Adoro Home Office

trabalhe em casa